quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

O MERGULHO DA MARINHA

O MERGULHO DA MARINHA
Clerisvaldo B. Chagas, 9 de dezembro de 2016
Escritor Símbolo do Sertão Alagoano
Crônica 1.603

Foto: (naval,com,br).
Abrindo alas para anotações sobre a Marinha Brasileira aos que gostam do assunto:
A década de 90 marcou uma realização nacional: a construção e incorporação do primeiro submarino totalmente construído no Brasil, pelo AMRJ, o submarino “TAMOIO” (S31). O submarino Tamoio, tendo como primeiro Comandante o Capitão-de-Fragata Flávio de Morais Leme, foi incorporado em 12 de dezembro de 1994.
Foi nessa década que se consolidou a capacitação brasileira na construção de submarinos.
Seguindo-se ao Tamoio, em 16 de dezembro de 1996, o segundo submarino construído no País, o “TIMBIRA” (S32), foi incorporado sob o comando do capitão-de-Fragata José Carlos Juaçaba Teixeira.
O terceiro submarino brasileiro da mesma classe, o “TAPAJÓ” (S33), também totalmente construído pelo AMRJ, foi entregue à Esquadra brasileira em 21 de dezembro de 1999, tendo como primeiro Comandante o Capitão-de-Fragata Júlio César da Costa Fonseca.

O futuro e a Realização de um Sonho – o Século XXI

Consolidados os conhecimentos e a capacidade para a construção de submarinos, a Marinha decidiu incrementar o seu Programa de Reaparelhamento com a construção de um quinto submarino. A Força de Submarinos, neste início do século XXI, viu nascer o Submarino “TIKUNA” (S34).
O “TIKUNA” não é um submarino da classe “TUPI”. Apesar da grande semelhança na aparência externa, são consideráveis as diferenças entre eles, constituindo uma nova classe. Incorporando novidades tecnológicas em diversos sistemas, notadamente na geração de energia, no sistema de direção de tiro e nos sensores, o “TIKUNA” sela a independência da nossa tecnologia na área de projeto e de construção de submarinos.
Saltos mais altos estão planejados para este século XXI. A continuação da construção de submarinos convencionais no Brasil e a construção de um submarino de propulsão nuclear, cujas barreiras tecnológicas estão sendo vencidas, restando vencer as orçamentárias.
Fonte: (naval.com.br). Adaptado.




Link para essa postagem
http://clerisvaldobchagas.blogspot.com.br/2016/12/o-mergulho-da-marinha.html

domingo, 4 de dezembro de 2016

VIVA ALAGOAS!

VIVA ALAGOAS!
Clerisvaldo B. Chagas, 5 de dezembro de 2016
Escritor Símbolo do Sertão Alagoano
Crônica 1.602
PENEDO. Ilustração (associadosdoturismo,com).
Estão de parabéns os idealistas que se movimentaram para o retorno do Festival de Cinema de Penedo. Aliás, Penedo foi o primeiro núcleo fundado em Alagoas e grande mentor do povoamento no Baixo São Francisco e em todo o Sertão alagoano. Merece muito respeito e consideração àquele que ainda hoje é o líder ribeirinho desde Piranhas à foz do Velho Chico. Terra de intelectuais, Penedo é de uma limpeza urbana que não se encontra igual dentro do estado. Além disso, soube preservar seus monumentos históricos e ampliar sua história, mesmo entrando numa fase difícil após a ponte de Porto Real de Colégio. Caindo seus movimentos comerciais das balsas que faziam o trabalho das pontes, Penedo perseverou apostando ainda no turismo cultural e de lazer que bem sabe proporcionar.
Retornando com seu festival de cinema que atrai o Brasil inteiro e o projeta no mundo, o município conta com mais essa significativa vitória. É bom ainda frisar o momento em que Alagoas está vivenciando em relação ao Turismo, sendo o primeiro destino
para o Nordeste e um dos primeiros do País, dizem artigos de jornais.  Além disso, foi noticiado também que Penedo vai ganhar a ponte Penedo – Propriá, tão sonhada durante décadas.
Apesar da invasão do mar que empurra as águas do São Francisco, já sem forças, não faltam atrações para quem procura pesquisar e fazer turismo. Lazer, Igrejas, conventos, passeio e banhos no rio, visitas à foz do Velho Chico, dunas e lagoas, culinária regional e outras atrações na cidade e municípios circunvizinhos, coroam os achados de quem procura.
É preciso de uma vez por todas rasgar a venda que impede dirigentes de ultrapassarem o umbigo. Afirmamos outras vezes: boas administrações seguidas poderão fazer novamente de Alagoas o “Filé do Nordeste”. Potencial tem.  




Link para essa postagem
http://clerisvaldobchagas.blogspot.com.br/2016/12/viva-alagoas.html