terça-feira, 17 de janeiro de 2017

VALORIZANDO O CERTO



VALORIZANDO O CERTO
Clerisvaldo B. Chagas, 17 de janeiro de 2017.
Escritor Símbolo do Sertão Alagoano
Crônica 1.620


Foto: (governamental).
Nada custa reconhecer o que é certo e demolir o errado. As anunciadas vias paralelas para desafogar a Avenida Fernandes Lima, estão sendo apontadas como quase prontas. Não era mais possível a continuação de um problema que parecia eterno, um único corredor entrada-saída de uma capital que possui atualmente mais de um milhão de habitantes. Entrou no clube das chamadas, geograficamente, de cidades milionárias. Trafegar pela Moreira Lima diariamente, como motorista, é coisa de doido. Muitos taxistas desistiram da profissão por não aguentarem o estresse feroz da via. Muitas outras pessoas foram para lugares onde não enfrentam a pressão daquele corredor.
O relativo barateamento do automóvel permite o aumento contínuo da frota brasileira. Assim vão aparecendo soluções criativas para o hoje, pois o amanhã ainda é interrogação.
“Na via que corta o Portugal Ramalho, 80% dos trabalhos de reestruturação estão finalizados. ‘Este trajeto, em específico, segue em etapa de pavimentação e faz parte de um dos trechos de obras do Eixo Cepa. Neste ponto, prosseguimos com as produções de passagem de nível por meio da implantação de rampas de acesso, impermeabilização de peças pré-moldadas e concretagem do piso’, esclarece o secretário executivo de Transporte e Desenvolvimento Urbano, Alcides Tenório”.
“Com os serviços também avançados no Eixo Quartel, a equipe de engenharia da Secretaria de Estado de Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand) começa nesta semana as etapas de pavimentação, drenagem e terraplenagem. A regularização e compactação dos passeios, que antecedem a fase de concretagem, já foram iniciadas neste ponto”.
No interior, a nova rodovia ligando a Colônia Pindorama ao povoado Bolívar, é mais um verdadeiro presente para os que circulam por ali. Leva-se em conta a Colônia, uma das mais respeitadas do Brasil e sua variada produção. Aprendi a admirá-la desde quando produzia apenas suco de maracujá. Um exemplo e um orgulho para Alagoas.








Link para essa postagem
http://clerisvaldobchagas.blogspot.com.br/2017/01/valorizando-o-certo.html

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

RABO DE CAVALO



RABO DE CAVALO
Clerisvaldo B. Chagas, 16 de janeiro de 2017
Escritor Símbolo do Sertão Alagoano
Crônica 1.619
Entre tantas lutas empreendidas pelos sertanejos a partir da década de 60, em Alagoas, estão o Hospital de Santana do Ipanema, água encanada, energia de Paulo Afonso, Curso Médio, ponte sobre o rio Ipanema e, entre outras, a rodoviária da cidade. A rodoviária foi a última das obras maiores conquistadas pelo povo santanense. Chegou atrasada, muito depois das outras, mas era charmosa e, de certa maneira aliviava o espírito aguerrido do povo. Quanto ao atraso, a época em que foi inaugurada, os ônibus já não faziam tanta falta assim. O transporte alternativo havia invadido as cidades alagoanas, deixando rodoviárias sem passageiros, às moscas.
Não foi apenas novidade no meio de transporte terrestre. Houve uma espécie de massificação numa frota de vans que penetram em todos os municípios. Mesmo com esse meio de transporte virando febre, ainda existem muitos lugares não servidos por ônibus e vans.
A rodoviária de Palmeira dos índios veio após a de Santana.
    Hoje a Estação Rodoviária de Santana do Ipanema é um desastre. Nem banco tem para ninguém sentar. É preciso pedir favor a um barzinho que funciona ali dentro (quase sempre rodeado de machos bebendo) se quiser uma cadeira de plástico rígido. As senhoras cismam em se aproximar do balcão para comprar um lanche.
Quem precisar de banheiro vá prevenido de casa para evitar constrangimento. Uma vergonha!
O enriquecimento ilícito que tomou conta do país mostra o sucateamento em todos os setores. E o Brasil que poderia estar lado a lado entre as nações mais ricas, respeitadas e dignas, anda com uma cuia de queijo-do-reino com a população nos hospitais, escolas, rodovias e em todas as repartições públicas mendigando relevantes favores. Estamos crescendo... Para baixo como rabo de cavalo.



Link para essa postagem
http://clerisvaldobchagas.blogspot.com.br/2017/01/rabo-de-cavalo.html